quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

As malas de 2009! Xôxôxôxôxôxôxôxôxô ....

Hoje eu ouvi no rádio, na Band FM, que existem pessoas que são negativas, influenciam de forma sombria a vida dos próximos, invejam os distantes e transmitem, pelo olhar, forma de agir, vestir e pensar, sua amargura.

Não me surpreendi nenhum pouco: conheço o tipo!

Sem a mínima intenção de mudar, melhorar e se transformar em algo melhor e bom, a única alternativa é pegar passagem para a próxima encarnação. Direto sem escala. Nesta? Sem chance!

E o pior, fantasiam uma verdade, absolutamente correta, que só na imaginação delas tem ou faz sentido. São injustas, incapazes, solitárias em seu íntimo e infelizes.

Não tive dúvidas! Fui direto para a rodoviária e comprei três passagens.
Vai! Vai com Deus! Vai e não volta!

Resolvi fazer caridade em pleno final de 2009. Comprei as passagens para a nova chance do se refazer em uma nova oportunidade de vida. O que fico feliz é que, embora ocupem estas linhas do meu blog, é minha imensa, unida, atenta e amorosa família Ferrugera e Praiera que vale! São os amigos presentes, solidários, solícitos, carinhosos e insubstituíveis que valem!

É na nossa imperfeição que somos completamente perfeitos e completos!

Com a licença poética da amiga próxima, segue:

Grandes foram as lutas, maiores as vitórias. O caminho foi muito difícil e os melhores momentos foram vivenciados dia-a-dia com a presença de vários "amigos", alguns visíveis outros imaginários, que foram presentes na alegria e na tristeza, fazendo da derrota uma vitória, da fraqueza uma força. Não chegamos ao fim, mas ao inicio de uma nova caminhada e que certamente estaremos todos juntos.

Que venha 2010 !! Um ano dourado e que venha cheio de realizações,
promessas cumpridas e principalmente com toda a JUSTIÇA que tanto
esperamos.

Um grande beijo no coração a todos os meus amigo ...

É fácil temperar a vida, basta dinheiro para despachar as malas! Se é que me entende?

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Desaprendizado.

Hoje eu aprendi a me entender, mas não entendi muito bem.

Aprendi com ela que a humildade e a caridade são a chave de uma vida tranquila e de passagem gratificante.
Aprendi com ele que "bode bom berra sim!".
Aprendi que olhar pra frente é bem melhor que olhar pra traz.
Aprendi a amar mais e esperar menos. A ser mais tolerante, de esperar a verdade e nem sempre a ter - e mesmo assim seguir.
Aprendi que não há respostas para perguntas não efetuadas.
Aprendi, novamente, que a alma é atemporal.
Aprendi que aqueles olhos já me viram antes.
Aprendi que o amor não se entende, compreende e que eu sou uma caixa de surpresas.

Acabei de encontrar mais um "kinder".

Aprendi que o meu entendimento é superior aos limites do meu pensamento. Que posso ser mais livre e feliz assim: ilimitada. Quando senti tudo junto: paz, tranquilidade, carinho, compreensão, entendimento, inteligência, beleza, corpo, pele, cheiro, bom gosto, boa conversa, companhia, solidariedade, compaixão ... acordei!

Era só um sonho e eu não entendi ou aprendi coisa alguma.
Temperar a vida com um sonho bom, mas da próxima vez ACORDADA!

domingo, 20 de dezembro de 2009

Vá foi ela ...

"Uma vez que você tenha experimentado voar, você andará pela terra com seus olhos voltados para céu, pois lá você esteve e para lá você desejará voltar."

(Leonardo da Vinci )

Ela não teve dúvidas em ama-lo no primeiro instante. Não há coincidência maior que estarmos juntos neste momento, neste segundo e ocupando o mesmo metro quadrado deste vasto, imenso mundo. Não fosse as inúmeras pessoas, o espaço imenso, ainda há o tempo, que este sim é ilimitado e a diferença de um segundo pode ser o encontro ou o desencontro.

Como ela já havia dito antes: deu tudo certo.

Ela deu sorte, teve sucesso, escolheu amor e colheu amizade. Não é por acaso que pessoas entraram e sairam da vida dela em 2009, por sua escolha ou por suas escolhas, o certo ou errado é que quem esta - esta verdadeiramente dentro.

Vivendo intensamente as alegrias e as tristezas, as conquistas e sendo, principalmente verdadeiro no início. E que não haja fim! As portas estão sempre abertas para quem quiser entrar.

Temperar a vida com "o não eu já tenho" - esta eu levo para a minha vida.

domingo, 13 de dezembro de 2009

Eternidade

O que eu tenho não me pertence
Embora faça parte de mim.
Tudo o que sou me foi um dia emprestado pelo criador, para que eu possa dividir com aqueles que entram na minha vida.

Ninguém cruza nosso caminho
Por acaso e nós não entramos na
Vida de alguém sem nenhuma razão.
Há muito o que dar e o que receber. Há muito o que aprender, com experiências boas ou negativas.

É isso... Tente ver as coisas negativas que acontecem com você como algo que acontece por uma razão precisa.
E não se lamente pelo ocorrido. Além de não servir de nada reclamar, isso vai lhe vendar os olhos para continuar seu caminho.

Dê de você mesmo o quanto puder! Quando você se for, a única coisa que vai deixar é a lembrança do que fez aqui.

Seja bom, tente dar sempre o primeiro passo, nunca negue uma ajuda ao seu alcance.
Perdoe e dê de você mesmo.
Seja uma benção!

Deus não vem em pessoa para abençoar.
Ele usa os que estão aqui dispostos a cumprir essa missão.
Todos nós podemos ser anjos.

A eternidade está nas mãos de
Todos nós. Viva de maneira que, quando você se for, muito de você ainda fique naqueles que tiveram a boa ventura de encontrá-lo!!!

Autor: Chico Xavier

Temperar a vida! Hoje, isto me basta.
Mãe!!! Tô indo ...

sábado, 12 de dezembro de 2009

Cheia de ISSIMAS(OS).

A menina veio correndo com um urso de pelúcia branco com orelhas e roupinha rosa. Ela tinha um olhar brilhante e um sorriso maroto e alegre. Se gabou perante os três meninos, seus amigos, que o Papai Noel já tinha lembrado dela. Todos acreditaram, pensaram quais os motivos por eles nao terem sido lembrados e dividiram o urso.

Cada um abraça e afofa um pouquinho. Sem brigas, discuções, tristezas ou egoismo. Tão linda a cena (...)! Criança é um luxo: quer saber a verdade? Pergunta pra elas!

Foi neste momento que me lembrei em pedir para o Papai Noel o sapato de salto altíssimo e bico finissimo, na minha cor preterida e cheio de requintados enfeites, que eu vi naquela loja caríssima do shopping V.I.P. da cidade. Um luxo.

Fazendo a minha cartinha e pedindo o sapato, vi um homem sem pés. E foi neste momento que eu temperei a minha vida com muito mais agradecimentos a qualquer pedido.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Sem viajar para o interiror! Sô da capitar!

Ela sente falta do nada e esta hiper mega super feliz com o tudo!

Temperar a vida com: tudodebom.com.br e frases curtas. Afinal, realmente e absolutamente está tudo ótimo.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Fazendo Pão.

Peneire 1 kg de farinha em uma tigela e faça um buraco no meio para colocar os demais ingredientes.

Acrescente 2 fermentos para pão em tabletes (esfarelados), 1 xícara de açucar, 2 ovos inteiros e uma colher de margarina beeeeeeeeeem cheia.

Por último acrescente 1/2 litro de leite morno.

Sova! Sova! Sova! Mas sova com a mesma vontade de comer o pão quentinho com manteiga. E sova! Sova! Sova!

Se desejar pão salgado, diminui o açucar na metade e acrescenta uma colher de sopa rasa de sal.

Deixar crescer. Confiar e esperar! Pode-se ajudar com um lugar ensolarado, com uma base de água quente! Cubrir com um plástico. Esperar.Sova de novo! Sova! Sova! Mas sova com a mesma vontade de comer o pão quentinho com manteiga. E sova! Sova! Sova!

Fazer os pãezinhos e deixar descansar por 15 minutos na assadeira.

Cozinhar em forno pré aquecido 180°/200°. Só cuidar e se deliciar!

Temperar a vida com a receita, tempo, sova, coragem e dose certa! Amanhã é só o começo: Dell tudo certo!

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Fim do Mundo.

Foi logo após o erro seríssimo e inaceitável de continuidade no final do mundo, que ela se deu conta de todas as maravilhas que haviam acontecido em sua vida. Percebeu e não tardiamente, que sua vida está, simplesmente, iluminada e abençoada.

Agradeceu a todos os responsáveis e principalmente agradeceu pelo merecimento. Prometeu continuar melhorando, ampliando, crescendo e se desenvolvendo. Sendo, a cada dia uma pessoa melhor, mais compreensiva e menos exigente consigo e com os outros.

Ficou impressionada com o final do mundo. Esperava mais, mas ficou impressionada com as reflexões possíveis. E alguns dos fatos foram marcantes, em sua visão, a salvação pelo dinheiro, a angustia dos sem salvação, a luta pela vida, a fragilidade, as crianças, os velhos, os animais e o salmo 23 incompleto. Nada é por acaso.

Após alguns minutos de puro vazio, lembrou dele, vindo, lindo, moreno, sempre estiloso, alto e filosófico. A boca, sempre arrepiou ela e ele falando em italiano, disse que estava sozinho, mas que ela não era sua opção (...embora para ela, ela + ele = fosse...) blá blá blá e o resto é apenas o resto. Mensagem entendida! Entendido, também, que o ano finda com o perfeito entendimento das imperfeições.

Quem sabe ela vai ficar olhando para as imperfeições?
Ovviamente non !!!

Temperar a vida com a perfeita leveza do ser imperfeito. Olhar o bom, o melhor e o próximo!

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Lamparinas, lâmpadas, velas e afins.



ESCURIDÃO!

Ela veio correndo no corredor escuro. Começou sua caminhada na escuridão, mas sabia que nada faltaria no ano que começava. Várias mudanças, outras pessoas e necessidades. Sua felicidade estava completa, dentro da imperfeição da sua vida.

Há felicidade perfeita em alguma vida que tem como objetivo a perfeição?

Sem querer discutir as exigências e a perfeição, resolveu viver a boa vida e não a vida perfeita. Ela ficaria triste, frustrada, cruel, insustentável sem a sempre inacabada vida perfeita. Vive o bom e o bem. Azar! Ou melhor Sorte! Muita Sorte!

Ela descobriu que querer é literalmente poder.
Que há muito entre o céu e a terra.
Que, em plena crise, abriu duas frestas em duas portas! Sendo a última imensa, gigante.
Que nem todos os amores merecem ser amados.
Que amar sempre vale a pena.
Que o amor é um sentimento do eu, melhor vivido quando tem o nós.
Que tem pessoas que nasceram para serem infelizes (por suas escolhas - e não adianta colocar a culpa no outro).
Que tem os melhores amigos.
Que é simplesmente feliz.

LUZ!

Ela entendeu que o mundo dá voltas.
Que nunca está só!
Que nem tudo é na hora que ela quer.
Que é bom ter novos amigos e que cultivar os velhos é melhor ainda.
Que ter amigos é bem melhor que ter família.
Que transformar a família em grandes amigos é maravilhoso e faz muito bem e faz muito feliz.
Que sua mãe é tudo de bom!
Que tudo tem uma explicação, ela que ainda não entendeu.
Que fazer o bem, sem olhar a quem, traz recompensas.
Que ajudar é melhor que se omitir.
Que quem dança seus males espanta!

104 anos de alma lavada.
Fechando com chave de ouro, diamantes, rubis e esmeraldas!

Temperando a vida com a alegria do ano comprido ter sido cumprido!
Ela não falou que tudo terminava em FINAL FELIZ? THE END.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

As diferenças são o que importam entre nós.

Se és igual a mim, não serve. Quero a magia das diferenças. Amigos que somem. Amores que multipliquem. Quero muita matemática. Estou no ponto zero e daqui só somando e multiplicando. Obrigada aos amigos diferentes. Sou melhor hoje por mim e por vocês. Obrigada aos amores indiferentes. Sou amada hoje por mim e sem vocês.
video

sábado, 21 de novembro de 2009

Adote um Gatinho!



Veja o que achei na net:

http://luizmeira.com/alergia_pets.htm

Fala completamente ao contrário do que se imagina !!!
Quem tem alergia ao pêlo do gato, provavelmente tem alergia à lã e qualquer outro tipo de "pêlo".

Quanto à toxoplasmose, saiba que o gato portador do toxoplasma (e não são todos) elimina os "ovinhos" somente uma vez na vida !!!! Ou seja, ele não representam perigo constante como se imagina !
Além disto, uma pessoa que nunca teve contato com gatos pode pegar a toxoplasmose pela ingestão de carne contaminada e mal passada.
Leia o artigo de um veterinário (logo abaixo) e não dê ouvidos a todas estas bobagens que falam sobre gatos !
Eles excelentes companheiros, muito limpos e muito independentes !
Boa sorte com seus gatinhos,ou melhor, com seus pais e irmãs .
______________________________________…
TOXOPLASMOSE >> Dr. Paulo Menezes, supervisor veterinário da SUIPA (Sociedade União Protetora dos Animais)

SERÁ QUE A CULPA DA FALTA DE SOLIDARIEDADE
NESSA VIDA TAMBÉM É DO GATO?????


Há mais de vinte anos exerço a profissão de médico veterinário no Estado do Rio de Janeiro. Todos que me conhecem, sabem que sou tranqüilo, não brigo, quero apenas viver pacificamente, junto à minha família e tentando salvar as vidas pelas quais tenho o maior respeito - as dos animais.

Mas acho que agora não dá mais para me calar! Desde a época da Inquisição, as pessoas queimavam os gatos, em rituais religiosos, o pobre do gato preto está sempre furado com agulhas nas encruzilhadas. Se uma criança tem um gatinho em casa, imediatamente a família acha que, o indefeso gato, é a causa principal pela doença do bebê.

Enfim, escuto as maiores asneiras, quando dizem que o gato transmite asma, transmite bronquite, faz parte do "demônio", "dá azar" e, agora, com a morte de uma atriz (que há seis anos estava com linfoma) que tinha apenas dois gatos e que contraiu a toxoplasmose, estão culpando - MAIS UMA VEZ - os gatos.

Soube que a senhora que faleceu, tem uma irmã com 84 anos, que tem 23 gatos em sua residência e, graças a Deus, até agora, parece não haver qualquer tipo de problema de saúde. Aconteceu uma fatalidade, porque certamente o sistema imunológico da senhora que faleceu já deveria estar bem enfraquecido. A toxoplasmose no ser humano é facilmente tratável, através de antibióticos adequados e corretos, conforme entrevistas de médicos imunologistas.

Amigos, a toxoplasmose, é transmitida pela ingestão de carne crua, carne mal cozida ou verduras mal preparadas. As fezes do gato podem transmitir essa zoonose, caso o animal esteja com a doença. Mesmo assim, em geral, os gatos desenvolvem imunidade ao toxoplasma depois da infecção inicial e, portanto, só eliminam os oocistos UMA VEZ em seu período de vida.

As pessoas também deveriam ter o hábito de lavar as mãos antes das refeições para prevenir a contaminação e, o recolhimento das fezes, deveriam ser com luvas, jornais, sacos plásticos etc... para que não houvesse contato direto.

Acho que já falei bastante, mas ainda tenho uma dúvida: Será que a falta de solidariedade existente em grande parte do ser humano também tem como causa principal o GATO?????

Paulo Roberto Lima de Menezes

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

"Um homem vai ao cassino, ganha um milhão, volta para casa e se suicida".

Ele não teve coragem de dar qualquer telefonema, pensou seriamente para quem ligar e contar o absurdo dos fatos. Impossível! Tanto os amigos, quanto os filhos e parentes não entenderiam. Assim como ele não entende e está, até agora, perfléxo.

Caminhar as onze quadras, completamente desnorteado, não aliviou as dores no corpo. Dispensar segurança, motorista, governanta, cozinheira, copeira, passadeira, costureira, alfaiate, personal stile, personal trainner e jardineiro não aliviou as dores na alma. Nem a solidão.

Sentado na poltrona da esquerda, da ampla sala norte, sem qualquer som e apenas luzes indiretas, pensava no acontecido. Pensava no Iate atracado na costa de Malibu, no apartamento com vista para o Arco do Triunfo, do quinto andar inteiro na Vieira Souto, no lar fazenda do Uruguai, na filha e os dois netos na Inglaterra, no filho surfando entre a Autrália, Bali e Nova Zelandia e na esposa, amada esposa, descansando em paz. Tudo tão distante.

E nada ajudava ele a entender os fatos. Como aquele AS de Espadas poderia virar o jogo? Como todos os demais estavam blefando? Como ele não percebeu? Como ele teve coragem de apostar tudo? Como os demais também tiveram coragem? E principalmente, tão somente, como ele poderia ter ganho, em minutos, o triplo de um ano de renda fácil.

Ficou pensando na cifra absurda, no primeiro milhão aos vinte e quatro anos, na lista da Forbes aos vinte e oito e agora, com cinquenta e três, na tranquilidade em ser rico, ter tudo e ainda contar como a mesma sorte do principiante. Sorte não existe, o que existe é trabalho, mas qual é o conceito do jogo? Faltava apenas ser feliz e útil. A sensação era de já ter encarado todos os desafios e ter ganho todos eles, menos o maior desafio da vida: o de ser feliz.

Realmente o que ele ouvia quando criança, no interiro de Uruguaiana, era a mais pura verdade, o dinheiro facilita a felicidade, mas não traz. E não trouxe mesmo e nem fez feliz e nem ajudou e nem foi útil e perdeu o sentido e desejou morrer, mas só por aquela noite. Amanhã fará tudo diferente!
Se ele não é útil seu dinheiro será!
Desta vez será e fará feliz!
Novos planos e nova vida, mas só depois de morrer.

Temperar a vida com a morte nossa de cada dia.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Carta Repetida.


O apagão fez isto com ela, além de ter que levantar manualmente, em plena madrugada o portão da garagem, entrou pé por pé em casa e pisou no gato. O gato preto sempre fica na porta esperando quem entra, assim como o gato amarelo sempre fica na porta do quarto espiando.

O podre gato voou longe. Coitadinho!

Na hora em que ela se arrastava para a cozinha a luz voltou. O gato sumiu e os olhos ofuscaram. Que bom que a luz voltou, pois desta forma será bem mais fácil encontrar o kit: Neosaldina, Emo e Magnésia Bisurada, Dorfex - tudo junto. Será que ela pegará Plasil também?

Para pegar todos os medicamentos teve que soltar o buque, sim ela pegou o buque no casamento. Ergueu a cabeça e ele veio em sua direção, sem ação para as demais. Depois de tanta alegria, felicidade, surpresas, emoção, lágrimas e sorrisos, discursos, chopp, churrasco e descontração - o buque foi o final quase perfeito.

Perfeito se o seu noivo tivesse caído em cima dela! Nunca vi mulherzinha mais desligada, temo que mesmo ele caindo na sua cabeça ela ficasse pensando: será? mesmo? agora? quando? onde? mas ... mas ... então! E ele passasse despercebido.

Ela largou o buque na sala de jantar, na mesa, que estava toda bagunçada após um jogo de canastra entre as quatro tias, um tios, um primo e sua avó. Percebeu que todas as cartas estavam na mesa, baralho duplicado pela quantidade de gente para jogar. E também percebeu que todas as cartas estavam com as figuras, os naipes, para baixo e apenas quatro estavam aparecendo. Duas figuras repetidas: dois AS de ouro e dois REIS de espada.

Ela se sentou e ficou observando a cena do buque e das cartas repetidas. Ela gosta de cartas repetidas, ela entendeu a mensagem, ela desejou que a mensagem fosse realmente uma mensagem do tipo presságio. Só ficou na dúvida entre o AS e o REI.

E na dúvida ficou com o Coringa!

Temperar a vida com figuras e cartas repetidas. Se boas lembranças vêem, que mau tem?
Hehehe!!!

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Cruzeiro no Sul.

Ela olhava ele de vez em quanto. E percebia que os olhares se cruzavam. Um queria ver o que o outro estava fazendo quando não estavam juntos.

Não podiam ficar sempre juntos, mas quando ficavam o toque era suave, perfeito, certo e quente. Assim como os movimentos.

Ela ligou várias vezes para ele hoje. Assuntos puramente profissionais, mas se ele soubesse a falta de profissionalismo dela ?!! Ficaria rubro!

E esta dor, angustia, ansiedade que não passa?

Temperando a vida com conversas cruzadas, pernas cruzadas, dedos cruzados e nada de braços cruzados.

sábado, 14 de novembro de 2009

Os livros que eu não li.


Era uma sexta-feira e ele chegou pontualmente as 18 horas e 30 minutos em casa, estacionou seu carro na estreita vaga, era um dia chuvoso, muito frio e com muito vento. Não havia outro querer que o aconchego do sofá, do cobertor, do vinho tinto e dos petiscos prontos do armário.

Foi exatamente como todas as outras sextas-feiras: banho, chinelo, roupa confortável, sofá, celular próximo e comidinhas prontas. Simples e fácil assim.
Não fosse por um detalhe completamente diferente de todos os outros dias: ela ainda não tinha chegado . ? ! ... , : Onde ela foi . ? ! ... , :

O tempo passou e ele percebeu que havia algo diferente no ar, sua espera se transformou em angustia, de angustia para ansiedade, de ansiedade para tristeza, de tristeza para solidão e de solidão para "e agora" . ? ! ... , :

Levantou lentamente, com esperança em uma virada emocionante na história. Chegou a ficar imóvel por poucos segundos, fechou os olhos, mas sua realidade era diferente naquele dia e realmente haviam objetos em outros lugares, vazios nas estantes, livros, cds, lps e dvds faltando e a coleção inteira de taças coloridas de cristal não estava na cristaleira de 1823.

A maior falta sentida era a dela e os objetos eram apenas símbolos do vazio. Não havia justificativa, nem entendimento, apenas as dúvidas, a falta de respostas e a confusão, desorientação momentânea. Olhou para o teto, as paredes e para a porta e encontrou, na porta da geladeira, preso pelo imã "Estive em Barretos e lembrei de você" um envelope. Dentro uma carta, nas palavras a justificativa e algumas poucas respostas:

Eu quero ser poeta e ter a linguagem perfeita, assim como a forma para falar contigo. Não quero meias palavras ou artimanhas ou conquista baratas ou papos furados.

Eu quero simplesmente calar e ser entendida.

Eu quero ser modelo e ter o corpo perfeito, aquele que é perfeito para mim ser tua cada vez que assim quisermos. Não quero estrias ou celulite ou gordurinhas localizadas e principalmente não quero não-me-toque.

Eu quero simplesmente despir e ser entendida.

Quero rir, divertir, dançar, cantar, beber, comer, cozinhar, sair, conversar e estar sempre acompanhada do amigo e do amante - tudo em um só. Algumas vezes mais amigo e algumas vezes mais amante. E que exista distância e espaços individuais. E que exista respeito com esta individualidade. Que tua presença seja constante no meu sentir e na tua falta eu sinta realmente falta e não alívio.

Eu espero que esta carta seja o nosso começo.


Ele pegou o celular e na necessidade de respostas e de solução imediata - ligou para ela. Tocou, tocou, tocou, tocou, tocou, tocou, tocou, tocou, tocou, tocou, tocou, tocou, tocou, tocou, tocou, tocou, tocou, tocou, tocou, tocou, tocou, tocou, tocou, tocou, tocou, tocou, tocou, tocou, tocou, tocou, tocou e caiu. E ele não se deu por vencido mandou a seguinte mensagem: sinto um imenso alívio por sentir muito e realmente a tua falta.

Eu temperei o dia de hoje com um pouco de dor, angustia, ansiedade, tristeza e solidão, com muita saudade, com a minha eterna e inveterada esperança, com meu melhor, com meus desejos, orações e pedidos. Carreguei meu dia com boas energias.
Por fim, te amei, na falta, mais um dia!

E vai entender?

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Temperar a vida com Walt Disney.

video

Para meus amigos!
Em especial o amigo do início do alfabeto e as do meio.

Terei, tatu e tá boa.

Comprei
Cobri
Acendi
Despetalei
Espalhei
Queimei
Perfumei
Penteei
Depilei
Maquinei
Despi
Deitei
Adormeci
Acordei
Posicionei
Suei
Movimentei
Usei
Falei
Sussurrei
Oxigenei
Morri
Ressuscitei
Murmurei
Encantei
Virei
Arrepiei
Desabei
Acabei.

Temperar a vida com a conjugação correta do verbo TER - terei!

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Admirar X Invejar

Peguei uma escada, subi bem rápido e fiquei espiando por cima do muro toda a movimentação que eu apenas ouvia e imaginava. Era um dia nublado e já ia chover.

Acho que será um campo de futebol para as crianças, não sei bem, só sei que tem um sistema de irrigação automática, adubação periódica, dois jardineiros, um cortador automático e mais alguns equipamentos que, sinceramente, não tenho a mínima idéia para que servem.

Aquele gramado é lindo! O monogromático tem suas nuances!
O verde é perfeito, o corte preciso e o cuidado constante. Houve um alto investimento para compor aquele jardim com um gramado tão lindo e encantador.

No outro dia de sol forte, dia aquecido, fui fazer companhia para a senhora do 201 que tem o hábito de tomar chimarrão na calçada. Claro que eu coloquei a minha estratégicamente posicionada para ver o gramado.

O papo era mais ou menos, mas a vista era perfeita. Nenhuma folha fora do lugar. Nenhum capim maior que o outro. Será que usam régua? Estava em paz, olhando entre as grades frontais da casa ao lado. Tudo maravilhoso!

Chegou o vizinho do 402 e trouxe biscoitos com mais uma térmica. Sentou ao nosso lado e falou, sem dó nem piedade, meio cabisbaixo: o gramado do vizinho é sempre mais bonito (...)!

Parei.
Choquei.
E me perguntei: e tu cuida do teu gramado?

Temperar a vida cuidando do próprio gramado e não invejando o do outro. Assim (...) parada e chocada ainda!

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Amar diferente.

Vi um homem jovem e bonito, com um elegante terno claro, cabelos bem aparados, mas moderno corte, alto, moreno, olhos grandes e castanhos. Achei interessante a cena, pois todos estavam indo na calçada, percebi todos indo de roupa escura e ele, único, voltando de roupa clara.

O sinal estava fechado e eu parada observando os passos dele contrários ao da multidão. A cena era bonita, contraditória e admirável. Rapidamente pensei em um significado para o fato, algo que aquele único quisesse me dizer.

Se fez a luz em meu conturbado pensamento, se veio a voz, que é minha, falando o significado: são pouquissimos os que não guardam ressentimentos, são poucos que vêem beleza nos bons sentimentos e os valorizam, menos os que acreditam no amor, menos ainda os capazes de perdoar e apenas um é capaz de expressar tudo que sente e ser feliz.

Há pouca felicidade então (?), pois a dor, no momento sentir, torna as pessoas escuras, distantes, mas protegidas. Não pensei algo bom sobre as pessoas que estavam indo, pensei angustia, solidão, sofrimento, ressentimento, inveja, vingança, desordem, descrença, desentendimento, desconfiança, incapacidades, cinismo, pessoas que acreditam apenas na evolução pela dor do semelhante - "se ela cair ela volta melhor" ou "ela precisa perder para dar valor" ou "a grama do vizinho é a mais bonita" ou "quanto mais alto maior o tombo" ou "tua derrota é a minha vitória" ou "a vida vai te ensinar" ou "me procura só na hora do aperto" ou "eu avisei" ou "tu não imagina do que sou capaz" ou (...) tantos ditos populares.

Ainda bem que só vi o rosto do moreno de terno claro.
Ainda bem que o sinal abriu e eu fui embora.

Acredito na evolução pelo amor, como primeira e grande opção oferecida de forma gratuida, generosa e abundante. A segunda ... bom deixa pra lá!

Temperar a vida com grandes oportunidades aproveitadas de amar de forma gratuita, sem cobranças ou dividas. Fazer por fazer o justo. Servir por servir para o bem. Amar por amar o semelhante e o diferente!

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Voltando do Uruguai.

Ela me ligou, neste final de feriado, cheia de histórias. Me contou várias sobre família, amigos, muitas atividades, alguns livros, tv, filmes e afazeres domésticos.

Não entendi muito bem a euforia em atividades simples e corriqueiras. Não que não haja magia nas simplicidade das atividades do dia a dia. E muitas amigas minhas usam o feriado para descansar e só, mas ela ???

Fiquei com vários pontos de interrogação.

Onde estará aquele homem maravilhoso que ela conquistou por inteiro?
Como estará aquela história linda de começo surpreendente?
Por que ela não inclui nenhuma participação dele no feriado se eles se amam tanto?
Será que esta história, cheia de amor, se perdeu na curva?

Fiquei meio assim de perguntar. Vai saber até onde podia meter a colher, sempre se diz que em briga de marido e mulher não se mete a colher.

Mas houve briga?

Pensando bem até poderia haver, não há casal que não brigue, até aquece na cama na volta, mas creio que a maior dificuldades dos dois era o diálogo. As conversas pareciam profundas e verdadeiras, mas faltava entendimento do que realmente era importante e fundamental na relação.

Ela sempre me falava isto, mas será que falava verdadeiramente pra ele o que ela queria?
E se falava será que ele entendia?
E ele, como será que agia?

Vários gaps de comunicação e quem tem noções de marketing sabe que não basta falar, tem que se fazer entender. Não basta ouvir tem que querer entender.

E alguns fatos, fotos e fofocas só são despejados no limite da falta de tudo: podia secar uma gota por dia e ajustar, mas vira um balde enorme derramando todo de uma vez. Vira uma mega briga cheia de razões e desentendimentos.

Só sei que há vários tipos de faltas de diálogo.
Uma facilidade enorme de culpar o outro.
Não olhar pro próprio rabo.
Achar que o outro tem que mudar da água pro vinho.
E que eu sou perfeita, ofendida e injustiçada.

Quem sabe não é nada disso e ele foi pra casa dos pais no interior?

As minhas dúvidas continuaram e eu com medo de perguntar e ela continuou a falar da roupa manchada com vinho, do shopping, do super que tava aberto no feriado ... blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá e eu interessada em outros assuntos.

Ela sempre me contou do amor que ele tem. Da sua enorme capacidade de demonstrar seu amor, sentimentos, com palavras, gestos e presentes. O amor dos dois é inspirador na luta diária da conquista da batida perfeita de quem não tem.

Eu não acreditava que ele não fazia mais parte da vida dela. Comecei a me indignar!!! A xinga-la, mentalmente, da tamanha burrada que ela estava fazendo. Dispensando uma grande oportunidade de ser feliz, de estar com alguém sincero, fiel, companheiro, amigo e que, assim como ela, estava aprendendo a amar, ajustando os erros e se dando uma chance, a cada dia, de ser ainda mais e mais e mais feliz.

Me subiu uma gana ... será que ela não sabe o tamanho do amor? Será que a amargura não pode dar lugar ao amor e ao perdão? Será? Será? Será? Será? Será que ela terá que passar por tudo que eu passei e só saber o valor quando realmente perder todas as chances de ser feliz e estar com ele?

Foi ai que, possuída de raiva, perguntei: e o fulano?
E ela respondeu: Tá bem! Foi pescar com papai no Uruguai.
Respondi: Ai que bom! Mas ela nem imagina o tamanho deste BOM.

Temperar a vida com uma chance para o verdadeiro amor.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Abençoada

Ela veio encantada! Feliz, alegre, tranquila, abençoada por Deus e todos os Santos e emocionada. Nunca tinha visto tanta gente famosa em uma festa tão linda. A formalidade tinha a dose certa para o encantamento e a diversão.

Tudo estava perfeito e a música continuou a soar por todo o lindo domingo. O cansaço não deixou ela contar detalhes, assim como eu não me estenderei, mas o certo é que voltaremos!

Temperar a vida com boas notícias - prosperidade, sucesso e amor! Por um motivo: ela é simples, mas é bem cara. Hehehehe !!!

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Sortuda, quem? Eu?

Agora só ando de escadas, exclui o elevador da minha vida. Só o utilizo se estou lotada de compras ou muito, mas muito cansada. Estava eu, então, step by step, chegando no meu andar e no meu apartamento, quando ouvi, andares acima, um choro. Fiquei aflita, não sabia se ignorava ou procurava saber o que estava acontecendo.

Claro que fui ver o acontecido. Como se não me conhecesse?

Era a vizinha do 402. Ela esqueceu a chave dentro do apartamento e bateu a porta e agora tinha que esperar a sua "flatmate" chegar. Falei pra ela não chorar sentada no tapetinho da entrada, para ela ir no meu apartamento e esperar lá comigo, com o Samba e o Rock. Ela chorou mais.

Meu Deus! Será que falei algo que não devia. Assim (...) pensando sempre que a culpa é minha e não do outro ou com o outro (...) mas é claro que não! O choro era dela e ela tinha seus motivos rapidamente desabafados, ali mesmo, agora nós duas sentadas no corredor.

Ela estava apaixonada por seu melhor amigo.
Meu Deus! Mais uma (...)
Sim, ela contou dos anos de amizade. Da amizade colorida, do sexo bom, do sexo ruim, das bebedeiras, das verdades, que só amigos falam, das criticas, do ombro e ouvidos amigo, dos braços fortes, falou também dos defeitos de ambos, mas mais dele, falou, falou, falou um monte sobre os dois e sobre a amizade.

Falou, no final, que tudo mudou. Ela se apaixonou. Quis tudo diferente e tudo melhor e agora, o que ela tem é a angustia da espera, que a deixa desesperada, angustiada, desiludida, mortificada, solitária, mas com fé que nada foi em vão e que os melhores relacionamentos vêem, surgem de uma boa amizade - ela espera.

Ela falou tanto quanto chorou. Se acalmou.
Foi então que tive a oportunidade de dizer que ela poderia estacionar seu carro melhor na sua vaga! Ninguém merece o carro todo atravessado.



Temperar a vida com a oportunidade de falar na hora certa.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

By Bruno Antunes:

Talvez eu venha a envelhecer rápido demais.Mas lutarei para que cada dia tenha valido a pena.
Talvez eu sofra inúmeras desilusões no decorrer de minha vida.Mas farei que elas percam a importância diante dos gestos de amor que encontrei.
Talvez eu não tenha forças para realizar todos os meus ideais.Mas jamais irei me considerar um derrotado.
Talvez em algum instante eu sofra uma terrível queda.Mas não ficarei por muito tempo olhando para o chão.
Talvez um dia o sol deixe de brilhar.Mas então irei me banhar na chuva.
Talvez um dia eu sofra alguma injustiça.Mas jamais irei assumir o papel de vítima.
Talvez eu tenha que enfrentar alguns inimigos.Mas terei humildade para aceitar as mãos que se estenderão em minha direção.
Talvez numa dessas noites frias, eu derrame muitas lágrimas.Mas não terei vergonha por esse gesto.
Talvez eu seja enganado inúmeras vezes.Mas não deixarei de acreditar que em algum lugar alguém merece a minha confiança.
Talvez com o tempo eu perceba que cometi grandes erros.Mas não desistirei de continuar trilhando meu caminho.
Talvez com o decorrer dos anos eu perca grandes amizades.Mas irei aprender que aqueles que realmente são meus verdadeiros amigos nunca estarão perdidos.
Talvez algumas pessoas queiram o meu mal.Mas irei continuar plantando a semente da fraternidade por onde passar.
Talvez eu fique triste ao concluir que não consigo seguir o ritmo da música.Mas então, farei que a música siga o compasso dos meus passos.
Talvez eu nunca consiga enxergar um arco-íris.Mas aprenderei a desenhar um, nem que seja dentro do meu coração.
Talvez hoje eu me sinta fraco.Mas amanhã irei recomeçar, nem que seja de uma maneira diferente.
Talvez eu não aprenda todas as lições necessárias.Mas terei a consciência que os verdadeiros ensinamentos já estão gravados em minha alma.
Talvez eu me deprima por não ser capaz de saber a letra daquela música.Mas ficarei feliz com as outras capacidades que possuo.
Talvez eu não tenha motivos para grandes comemorações.Mas não deixarei de me alegrar com as pequenas conquistas.
Talvez a vontade de abandonar tudo torne-se a minha companheira.Mas ao invés de fugir, irei correr atrás do que almejo.
Talvez eu não seja exatamente quem gostaria de ser.Mas passarei a admirar quem sou.Porque no final saberei que, mesmo com incontáveis dúvidas, eu sou capaz de construir uma vida melhor.
E se ainda não me convenci disso, é porque como diz aquele ditado: “ainda não chegou o fim”Porque no final não haverá nenhum “talvez” e sim a certeza de que a minha vida valeu a pena e eu fiz o melhor que podia.

Pra casar.

Nem sempre foi assim, ele se tornou a pessoa que é hoje devido a sua longa e conturbada relação. Não foi feliz e nem conseguiu fazer feliz, pois baseou suas emoções no rancor da traição, na dor da perda, na solidão da distância e no eu e não no nós. Ele não conseguiu completar a amada e nem se completar e o pior é que crê, sem dó nem piedade de si mesmo, que não é merecedor de felicidade.

Ele se tornou uma pessoa amarga, solitária, fechada, isolada, incapaz de compreender o amor, de se deixar envolver, de sexo sem domínio, de se entregar, de se deixar completar. Se sente completo e feliz dentro da imensa solidão que o envolve.

Foi então, que certo dia, como nos contos de fada e qualquer semelhança não é mera coencidência, ele recebeu um adorável presente com um amável cartão e sua reação avessa era esperada, mas não compreendida. Nada mudou durante muito tempo, ele era exatamente o mesmo: feliz na sua infelicidade.

Apenas uma semente foi lançada em um péssimo solo, não era esperada uma linda planta. Não havia pretensões de um jardim florido ...

Foi então que ele viajou para bem longe, onde o frio inesperado gelou seu corpo e aqueceu seu coração. Vivênciou novas situações e ficou próximo de pessoas muito queridas, onde a distância é irrelevante, o sentimento é verdadeiro e os fatos verídicos. Ele presenciou a mais linda declaração de amor.

Baseada em um encontro único, inesquecível e singular. Era apenas uma imagem que ficou guardada na lembrança. Fisicamente era tudo que ele idealizava, mas haviam muitas dúvidas?! Idealizou o que faltava em sua vida, já tinha tanto sucesso e reconhecimento, já tinha dinheiro, amigos, estabilidade e fazia o que gostava. Faltava seu ideal de companheira, de sonhadora, de amiga, de amante, de desbravadora, de instabilidade estável. Sabia exatamente o que faltava e o que queria.

Queria um abraço apertado na chegada em casa e um beijo ardente a cada adormecer.

Sem qualquer planejamento, bailando, (re) reconheceu a mesma mulher de seu encontro único. A noite também foi única e especial e se expandiu durante três felizes e tranquilos anos.

Ambos se tornaram pessoas melhores, mais completas e felizes. Ele tem, a cada chegada, um abraço apertado, a troca de experiências, a conversa agradável, as divergências saudáveis, a inconstância da estabilidade e a instabilidade constante. Sempre tudo acaba com aquele beijo ardente, pré requisito básico do antes, do durante e do depois.

São felizes sem ansiedade, com tranquilidade, são muito mais tolerantes e com muito amor. Onde o eu te amo é mais que dito - é sentido.

Ele ouviu tudo isto de um jovem casal e reconheceu tudo que não tinha em sua vida, mas poderia ter. Soou um sino enorme em sua cabeça: "escolha errada"!!! Béeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee !!!

E ainda ouviu, para terminar, os seguintes versos de Mário Quintana. E como não há acaso, ele era gaúcho do Ale grete.

"Em maio de 98, escrevi um texto em que afirmava que achava bonito o ritual do casamento na igreja, com seus vestidos brancos e tapetes vermelhos, mas que a única coisa que me desagradava era o sermão do padre:
"Promete ser fiel na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando-lhe e respeitando-lhe até que a morte os separe?"
Acho simplista e um pouco fora da realidade. Dou aqui novas sugestões de sermões:

- Promete não deixar a paixão fazer de você uma pessoa controladora, e sim respeitar a individualidade do seu amado, lembrando sempre que ele não pertence a você e que está ao seu lado por livre e espontânea vontade?

- Promete saber ser amiga(o) e ser amante, sabendo exatamente quando devem entrar em cena uma e outra, sem que isso lhe transforme numa pessoa de dupla identidade ou numa pessoa menos romântica?

- Promete fazer da passagem dos anos uma via de amadurecimento e não uma via de cobranças por sonhos idealizados que não chegaram a se concretizar?

- Promete sentir prazer de estar com a pessoa que você escolheu e ser feliz ao lado dela pelo simples fato de ela ser a pessoa que melhor conhece você e portanto a mais bem preparada para lhe ajudar, assim como você a ela?

- Promete se deixar conhecer?

- Promete que seguirá sendo uma pessoa gentil, carinhosa e educada, que não usará a rotina como desculpa para sua falta de humor?

- Promete que fará sexo sem pudores, que fará filhos por amor e por vontade, e não porque é o que esperam de você, e que os educará para serem independentes e bem informados sobre a realidade que os aguarda?

- Promete que não falará mal da pessoa com quem casou só para arrancar risadas dos outros?

- Promete que a palavra liberdade seguirá tendo a mesma importância que sempre teve na sua vida, que você saberá responsabilizar-se por si mesmo sem ficar escravizado pelo outro e que saberá lidar com sua própria solidão, que casamento algum elimina?

- Promete que será tão você mesmo quanto era minutos antes de entrar na igreja?
Sendo assim, declaro-os muito mais que marido e mulher: declaro-os maduros."


Ele voltou mudado: voltou maduro!

Temperei a vida com a certeza de escolhas certas e espero que a justiça, a verdade, a bondade, o reconhecimento, o amor, o abraço apertado e o beijo ardente não me sejam indiferentes.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Quem te disse está mentindo e nego até quando puder, mas ele sabe a verdade.



Temperar em preto e branco pra dizer que estou mais loira que nunca!

Armando alguma ... vai sabê?

Ela leu um cartaz próximo ao elevador de saida. Ficou tão impressionada com a farta leitura e todo seu significado, que aguardou a próxima partida. O cartaz dizia: "Daqui a 5 anos você estará bem próximo de ser a mesma pessoa de hoje, exceto por duas coisas: os livros que ler e as pessoas de que se aproximar."

Duas escolhas importantissimas, mas entre elas preferiu as pessoas. E pensou sobre todas que se aproximaram dela como opções, carências, destinos, por solidão, sentimentos, afinidade, ideais, caminhos certos ou errados. E concluiu que é uma pessoas melhor e em pleno desenvolvimento, crescimento e evolução por cada uma que foi ou é importante na sua vida.

Dentro do elevador, tagarelando, um amigo bastante próximo perguntou se devia arriscar. Ela não entendeu muito bem o arriscar no final da frase, mas imediatamente respondeu que sim! Arriscar é a viga e não desistir é o concreto da contrução da vida, da aproximação entre as pessoas e também de seus afastamentos. Tudo bem, ela sabe que é assim mesmo: arriscar sempre e desistir jamais de uma linda construção!

Ele desceu no andar de cama, mesa e banho e ela seguiu para utensílios domésticos, caça e pesca. Seguiu pensando nos velhos-novos riscos, dela e do amigo. Ela matutando uma plano de sobrevivência na selva e ele, certemente, comprando lençois de seda.

Ele temperou a vida com lençois de seda brancos com delicados bordados creme, marrom e com leve toque de dourado, duas almofadas, quatro travesseiros e um edredom novinho na cor café e ela com duas varas de pescar, muita isca artificial, faca de caçada, duas térmicas, uma cooler, uma lavadoura de louça e um micro ondas - afinal, ninguém é Ofélia mais.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Saudade é o que fica do que não fica.

Porque a loucura de Deus é mais sábia que a sabedoria humana, e a fraqueza de Deus é mais forte que a força do homem. (1Co 1.25)

Temperar a vida com um entendimento humano de algo divino. Perdoe minha falta de respostas, mas hoje e agora, as perguntas me bastam.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Eu sempre falo das flores.


Eu falo sempre das flores, pois elas tem espinhos, perfume, cor, vida, alegria e "perfumam as mãos, até, de quem as esmagam." Mário Quintana falou que não são as rosas que tem espinhos e sim os espinhos que tem rosas.

É uma forma mais leve e suave de ver a vida.

Vivemos uma vida curta, então que seja intensa, cheia de alegrias e de ótimas, maravilhosas tentativas. Desistir jamais de ser feliz! Tentar, tentar e conseguir.

Desejo que esta felicidade requisitada, não seja momentânea e sim permanente e constante. Que só haja boas lembranças, sem baú guardado, mesmo que no fundo do guarda roupa, com o entulho do ressentimento, da mágoas e da tristezas. Estes sentimentos, que existem, que estejam de breve passagem, rápida solução e solúvel exclusão.

Sinto todos os sentimentos, mas guardo só o que é bom. O resto é só o resto!

Temperar a vida com a fartura dos bons sentimentos - o resto é só o resto!

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

que a injustiça não me seja indiferente

Encontrei ele, sem querer, no novo Barra Shopping Sul. Como não acredito no acaso, pude perceber no seu olhar e nos seus gestos que havia muita vontade de conversar, desabafar e detalhar os fatos angustiantes da última semana de desespero.

Ele manteve-se calmo e tranquilo, mas eu sei, depois de tudo que ele me contou, que esta fachada pode ter funcionado para alguns, mas na verdade, ele estava arrasado, em pedaços e juntando as peças de uma figura inteiramente desconhecida. Os mais desatentos não perceberam.

No final da longa e injusta história contada e detalhada, eu e ele nos abraçamos e ele, aos prantos, me apertava contra seu peito. Me queria nele. Alguém que segurasse com ele, sua dor. Fui forte, seguramos juntos, pois existem algumas certezas para os puros de coração:
  • não há mal que dure para sempre;
  • nunca estamos sós;
  • o saldo é sempre positivos (para os puros de coração);
  • o que se planta se colhe;
  • nossa colheita será farta.
Estas conclusões falamos juntos, mas não tenho certeza se no fervor da emoção, ele ainda lembra sobre o que falamos, mais para o final da conversa. Mesmo assim, aqui, é um ótimo canal para registrar as conclusões (nada definitivas). Não há conclusões definitivas se a emoção toma conta da razão. Nada como o bom e velho tempo para arrumar a casa, ou seja, nos arrumar.

Depois de tantas revelações eu, sem saber o que dizer ou orientar, pedi para Deus que a dor não me seja indiferente, que a morte não me encontre um dia, solitário sem ter feito o que eu queria. Pedi a Deus, principalmente, que a injustiça não me seja indiferente, pois não posso dar a outra face, se já fui machucado brutalmente.

Percebi que cantei a musica Solo le piedo a Dios, de Mercedes Sosa - foi como uma homenagem a sua luta diária por uma América latina livre, fraterna, amorosa, solidária e justa. Que a história não lhe seja indiferente (...). Esteja em paz!

Temperar a vida principalmente com: que a injustiça não me seja indiferente!

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Temperar a vida com a liberdade intensa das noites de uma ótima sexta-feira!

Amo a liberdade,
por isso deixo as coisas que amo livres.

Se elas voltarem é porque as conquistei.
Se não voltarem é porque nunca as possuí.

John Lennon

Mas quem falou em amor (...)?

DIFERENÇAS - oba !!!oba !!!oba !!!oba !!!oba !!!oba !!!oba !!!oba !!!oba !!!oba !!!oba !!!oba !!!


MÁRIO QUINTANA: quando eu crescer quero ser que nem ele (...) mas que pretensão a minha (...)

Nasci em Alegrete, em 30 de julho de 1906. Creio que foi a principal coisa que me aconteceu. E agora pedem-me que fale sobre mim mesmo. Bem! Eu sempre achei que toda confissão não transfigurada pela arte é indecente. Minha vida está nos meus poemas, meus poemas são eu mesmo, nunca escrevi uma vírgula que não fosse uma confissão. Ah! mas o que querem são detalhes, cruezas, fofocas... Aí vai! Estou com 78 anos, mas sem idade. Idades só há duas: ou se está vivo ou morto. Neste último caso é idade demais, pois foi-nos prometida a Eternidade.Nasci no rigor do inverno, temperatura: 1grau; e ainda por cima prematuramente, o que me deixava meio complexado, pois achava que não astava pronto. Até que um dia descobri que alguém tão completo como Winston Churchill nascera prematuro - o mesmo tendo acontecido a sir Isaac Newton! Excusez du peu... Prefiro citar a opinião dos outros sobre mim. Dizem que sou modesto. Pelo contrário, sou tão orgulhoso que acho que nunca escrevi algo à minha altura. Porque poesia é insatisfação, um anseio de auto-superação. Um poeta satisfeito não satisfaz. Dizem que sou tímido. Nada disso! sou é caladão, introspectivo. Não sei porque sujeitam os introvertidos a tratamentos. Só por não poderem ser chatos como os outros?Exatamente por execrar a chatice, a longuidão, é que eu adoro a síntese. Outro elemento da poesia é a busca da forma (não da fôrma), a dosagem das palavras. Talvez concorra para esse meu cuidado o fato de ter sido prático de farmácia durante cinco anos. Note-se que é o mesmo caso de Carlos Drummond de Andrade, de Alberto de Oliveira, de Érico Veríssimo - que bem sabem (ou souberam) o que é a luta amorosa com as palavras.

Não use a santa palavra "AMIGO" em vão.

Eu estou sentindo e sentindo verdadeiramente na pele um conceito muito utilizado na área de vendas: vendedor não tem passado. Só, que hoje, estou sentido como amigo, que não olha o passado e remete a amizade a um patamar simplório e descartável.



Se pode ser tão facilmente descartado, substituído, excluído - na verdade nunca existiu.



Amizade se constroi com anos e se destroi em minutos.
Estou arrasada e completamente destemperada!

BONS AMIGOS
Abençoados os que possuem amigos, os que os têm sem pedir.
Porque amigo não se pede, não se compra, nem se vende.
Amigo a gente sente!
Benditos os que sofrem por amigos, os que falam com o olhar.
Porque amigo não se cala, não questiona, nem se rende.
Amigo a gente entende!
Benditos os que guardam amigos, os que entregam o ombro pra chorar.
Porque amigo sofre e chora.
Amigo não tem hora pra consolar!
Benditos sejam os amigos que acreditam na tua verdade ou te apontam a realidade.
Porque amigo é a direção.
Amigo é a base quando falta o chão!
Benditos sejam todos os amigos de raízes, verdadeiros.
Porque amigos são herdeiros da real sagacidade.
Ter amigos é a melhor cumplicidade!
Há pessoas que choram por saber que as rosas têm espinho,
Há outras que sorriem por saber que os espinhos têm rosas!
Machado de Assis

terça-feira, 29 de setembro de 2009

O livro.

O livro que ela estava escrevendo foi recolhido das prateleiras das mais ilustres e renomadas livrarias. Foi um zum zum zum generalizado, mas era claro e objetivo a motivação da editora: ela plagiou seu penúltimo livro publicado. A história foi reescrita, apenas alterando alguns personagens, mas era exatamente, fielmente a mesma história.

Ela ficou completamente decepcionada. Como não percebeu que a história era a mesma? Se perguntou, inúmeras vezes, se foi de propósito. Não acreditava. Não acreditou e pirou - foram horas de insanidade relendo as páginas já escritas.

Somente com a ajuda profissional ela foi capaz de, pelo menos, se questionar - qual o motivo da história se repetir, os personagens serem tão iguais, as dificuldades, amarguras, distâncias e impossibilidades tão repetitivas. A resposta não sei, ela não me contou, mas a pergunta é bastante pertinente.

Quem sabe no seu próximo livro venha a resposta, assim como uma novíssima história escrita. O único fator que ela não abre mão é da sua enorme capacidade de se reinventar. Se (re) inventa que é uma loucura.

Breve nas mais conceituadas livrarias!

Temperar a vida. Assim bem positiva ... e bem temperada.

Dê o melhor de você para a vida e aguarde a recompensa.

o único pensamento era - que este dia acabasse logo.
Acabou e algumas conclusões, nada definitivas, foram observadas:
  • sempre use corretor ortográfico;
  • o tempo sempre passa e ele é senhor de tudo;
  • não há mau que sempre dure;
  • saber amar é saber deixar alguém te amar;
  • a fila anda;
  • furar a fila é permitido e deixar outro (a) passar na sua frente também;
  • quem dança seus males espanta;
  • antes de tudo - ser verdadeiramente amigo (a);
  • antes de tudo - ser educado (a);
  • antes de tudo - eu;
  • perseverança não é teimosia;
  • abrir portas não significa fechar janelas;
  • não gere expectativas de pessoas emocionalmente limitadas;
  • não sofra o sofrimento que não é seu;
  • não durma agarrado (a) em maus sentimentos;
  • o silêncio é a melhor resposta para quem não sabe ouvir;
  • longe é um lugar que não existe;
  • (...) perdoar e compreender, pois a maior vingança é ser feliz (...) Márcio Duarte;
  • tem gente que se acha e não é;
  • querer é poder;
  • sentimentos verdadeiros não tem preço, para todo o resto temos MarteCard.

Temperar a vida - antes com a certeza de um não, que a incerteza de um talvez, porque o não, dói e passa e o talvez, talvez.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Ela escreveu primeiro no meu coração e agora está para sempre em mim.

Obrigada Mãe Maria Marta.

Foi (...)

O que faltou ser falado, não é por palavras.
Só tenho o silêncio para te entregar.
Com ele irá todo meu sentimento de bem querer.

Eu queria ser poeta
para em palavras
conseguir descrever
o meu sentir.
Não quero te mentir,
não é amor
e não sei se tem nome
ou já foi catalogado.
É simples como dançar contigo.
É calmo como tua voz.
É tentador como tua boca.
É sem sentido como este afastamento.
É sem propósito, mas é bom ...
Como ficar contigo.
Como ver o Inter ganhar!
É apenas tudo isto.

Temperar a vida com o É apenas tudo isto.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

What I've done


What I've done
I'll face myself
To cross out
What I've become
Erase myself
And let go of
What I've done

Apenas uma mentira

Hoje ela lembrou de um passado esquecido, lembrou de um amigo que deixou saudade em uma brutal e jovem morte. Inesplicável, sem propósito ou sentido.
Era algo novo! Desconhecido e com pouquíssimo entendimento.

Ela entendi.
Ela sempre aceitei.
Ela sempre amei.
Ela sempre amarei.

Hoje ela repensou vários fatos do passado. Passou a limpo algumas páginas, não deletou nenhuma, corrigiu algumas e seguiu em frente. A morte não é o fim e sim o recomeço para o novo. O novo causa ansiedade, angustia e expectativas, mas esta não é nossa vida? O novo a cada dia!

Amigo!
Depois de tanto tempo, falei teu nome.
Lembrei das nossas histórias.
Falei em ti.
Amigo!
Esteja bem e na luz.
Esteja com os anjos.
Esteja em paz.
Amigo!


O Nosso Amor A Gente Inventa
Composição: Cazuza / João Rebouças / Rogério Meanda

O teu amor é uma mentira
Que a minha vaidade quer
E o meu, poesia de cego
Você não pode ver
Não pode ver que no meu mundo
Um troço qualquer morreu
Num corte lento e profundo
Entre você e eu
O nosso amor a gente inventa
Pra se distrair
E quando acaba a gente pensa
Que ele nunca existiu
(...)

Temperar a vida com a lágrima salgada que escorre do meu rosto, aceito as perdas e quem sabe, um dia, bem distante ... entenderei os Teus motivos.

sábado, 19 de setembro de 2009


Ótimos, bondosos e livres!

Li melhor o hino do Rio Grande do Sul e percebi que ele é uma oração, ações virtuosas para o dia a dia e que esconde muitos códigos.

Li de uma forma diferente. Eu que amo esta terra fria de mais, quente de mais, longe de mais das capitais, gente inteligente e interessante de mais. Supro qualquer defeito ou falta com as inúmeras qualidades.

Vejo o bem e vejo o bom!
A vida tem a cor que eu pinto e hoje pinto tudo de verde esperança, vermelho amor e paixão e amarelo ouro!

O Hino Rio-Grandense é o hino oficial do estado do Rio Grande do Sul. Tem letra de Francisco Pinto da Fontoura, música de Comendador Maestro Joaquim José Mendanha e harmonização de Antônio Corte Real. A obra original possuía uma estrofe que foi suprimida, além de uma repetição do estribilho, pelo mesmo dispositivo legal que a oficializou como hino do estado - A lei nº 5.213, de 5 de Janeiro de 1966.

Como aurora precursora
Do farol da divindade
Foi o vinte de setembro
O precursor da liberdade
Refrão
Mostremos valor constância
Nesta ímpia injusta guerra
Sirvam nossas façanhas
De modelo a toda terra
De modelo a toda terra
Sirvam nossas façanhas
De modelo a toda terra
Mas não basta pra ser livre
Ser forte, aguerrido e bravo
Povo que não tem virtude
Acaba por ser escravo
Refrão


Trecho suprimido

Em 1966, durante o Regime Militar a segunda estrofe foi retirada oficialmente.
Que entre nós, reviva Atenas
para assombro dos tiranos
Sejamos gregos na glória
e na virtude, romanos


Temperar a vida com "colorado é coração ... trago, amor e paixão, pra sempre inter!!! "
Gaúcho e colorado? Tuuuuuuuuuuuuuuuuuuuudo de bom !!!

domingo, 13 de setembro de 2009

Fatos, escolhas e consequências.

Hoje eu descobri que sou responsável por meus atos e que eles podem ajudar ou prejudicar as pessoas, mas será que foi somente hoje? A resposta é não. E a maior decepção é eu ser prejudicada por mim, por eu me deixar prejudicar por ações e reações.

Eu me prejudiquei muito, mas estes fatos não vão mais acontecer!

Na dúvida não ultrapasse.
Prefira confiar nas pessoas.
Seja feliz todos os dias.
Não seja adivinha.
Se a mensagem não vier clara, descarte a mensagem.
Fique calma.
Se acreditas em Deus, sabes que a melhor escolha é a Dele.
Deus tem seus anjos.

Estou bastante decepcionada e estar decepcionada é muito pior que estar triste e não há dinheiro e ato retratatório (os fatos não estão à venda). Espero que o tempo e apenas ele, senhor de toda a razão, seja capaz de corrigir o meu erro comigo e principalmente eu seja capaz de me ouvir, de dizer não e de me calar, quando o silêncio vale mais que as palavras. Adivinha não serei mais!

Minha sorte é que meu tempo dura bem pouco.
O hoje é apenas o hoje.
E o amanhã tudo será diferente e no seu lugar.
Mas hoje me deixa quieta.

E hoje meu silêncio valeu mil vezes mais as minhas palavras.
A maturidade e a amizade fizeram isto comigo: silêncio!

Não há dinheiro.
Não há ato retratatório.
Os fatos são os fatos e colhi suas consequências.

Temperar a vida com melhores colheitas na próxima vez.

sábado, 12 de setembro de 2009

Um sonhador comanda a vida.

BjMeLiga

Ela me aparece, com uma cara péssima, mas com um sorriso enorme no rosto. Eu confesso não ter entendido mais nada, absolutamente nada.

Não era um capítulo dramático?
De perdas, incertezas e lastimas?

Como assim esta feliz!?

Hoje ela mandou para alguns amigos, alguns amores uma frase que fala mais ou menos assim: seremos quase o que somos hoje, daqui a 5 anos, o que pode mudar depende dos livros que lermos e das pessoas que nos aproximarmos. Não é isto, mas é quase isto.

Ela levou o melhor! Levou as pessoas!
Deixou um pouco dela e trouxe, trouxe muito, bem mais que qualquer um imagina. E para por ai. Para de parar, só que agora sem acento.


Peguei a frase para escrever direitinho: "Daqui a cinco anos você estará bem próximo de ser a mesma pessoa que hoje, exceto por duas coisas: os livros que ler e as pessoas de que se aproximar."

Agora sim!

Temperar a vida com a grande emoção de não esconder as emoções e sentimentos.
Se todos soubessem ???

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

O mar me aguarda e no mesmo lugar.

Ela me ligou e me contou tudo, assim bem fofoqueira. Sei que ela aumentou a história que a vizinha da cunhada da amiga da Maria Ângela contou, mas ela é sempre tão animada, divertida e criativa em suas histórias, que só abstrai um pouquinho e acreditei em todo o resto.

Ela me disse que a fulaninha estava organizando as ideias, organizando o quarto e desestruturando as rotinas. Ela me disse que a fulaninha sempre contava que tinha aquela nítida impressão, sim aquela descrita e falada tantas vezes - sim, ela mesmo, que é a mais pura verdade: se o cachorro não sacode o rabo, o rabo sacode o cachorro.

Sábio Luiz Antônio*! Quem é Luiz Antônio?
E a fulaninha, assim bem cadela, a-d-o-r-o-u ser sacudida.

Não me pergunte de onde vem esta calma, tranquilidade e felicidade.
Não me pergunte onde está o medo, a insegurança e a ansiedade.
Não me pergunte como e nem porque, se realmente não quiser saber a resposta.

Fulaninha está calada, sem respostas imediatas para qualquer pergunta. Está com o som alto para não escutar seus pensamentos! Estava no bar, na rua, na chuva e na fazenda.

E é exatamente por isto que eu não estou perguntando nada para ela. Fulaninha e nem eu queremos ouvir, mas sei a falta que as iluminadíssimas, inesquecíveis, inconfundíveis, iniqualáveis pessoas farão no dia a dia daquela cadela. O sentimento que ela traz consigo é o que valeu a pena! É a certeza que a alma não é pequena, que tudo vale muito. Principalmente o tempo, as pessoas, os erros (para os futuros acertos) e os acertos (para futuros aperfeiçoamentos).

Foi uma noite feliz, entre dois dia felizes (hoje e amanhã). A chuva ajuda a limpar a alma da fulaninha, assim como a caminhada pela Cidade Baixa.

Tudo muito normal! Fulaninha pensou no amor e no trabalho, encontrou amigos e amigas! Foi ao shopping, comprou uma calça 38 e uma bota 36, cinema + pipoca com manteiga, foi ao bar beber Fanta, foi a Igreja refazer sua luz e fé e comeu com as mãos.

Falando, um pouco dos sentimento (...) de fulaninha (...) ela sentirá falta da falta que ele fará. Não duvidei, em nenhum momento, que as migalhas oferecidas, eram tudo que eles tinham naquele momento! Era um homem em pedaços e uma mulher em pedaços e não sei quando ela estará inteira, dele (...) muito menos quero saber! Mas como era o que a casa oferecia no momento, foi muito bem aproveitado.

Temperar a vida com o recomeço! Mais um e bem melhor (...)

Sou um anjo de uma asa só!
Somente com um amigo consigo voar.
Obrigada por ter voado comigo e até a próxima decolagem.

(em ordem alfabética)
  • pelo tudo.
  • pelo todo.
  • por não ter sido fácil.
  • pelo nosso Inter!
  • por eu dançar, por tudo e pelo mais.
  • pela verdade de uma ariana na capital.
  • pelo ontem, pelo hoje e pelo sempre! Coração, ouvidos e ombros.
  • pela amizade.
  • por facilitar meu dia a dia.
  • pelo turismo, msn com papo bom.
O Vendedor de balões

Era uma vez um velho homem que vendia balões numa quermesse. Evidentemente, o homem era um bom vendedor, pois deixou um balão vermelho soltar-se e elevar-se nos ares, atraindo, desse modo, uma multidão de jovens compradores de balões.

Havia ali perto um menino negro. Estava observando o vendedor e, é claro apreciando os balões. Depois de ter soltado o balão vermelho, o homem soltou um azul, depois um amarelo e finalmente um branco. Todos foram subindo até sumirem de vista. O menino, de olhar atento, seguia a cada um.

Ficava imaginando mil coisas... Uma coisa o aborrecia, o homem não soltava o balão preto. Então aproximou-se do vendedor e lhe perguntou:
- Moço, se o senhor soltasse o balão preto, ele subiria tanto quanto os outros?
O vendedor de balões sorriu compreensivamente para o menino, arrebentou a linha que prendia o balão preto e enquanto ele se elevava nos ares disse:
- Não é a cor, filho, é o que está dentro dele que o faz subir.

Autor: Anthony de Mello.

* Ex-diretor comercial da Ticket Serviços S/A

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Oragniez seu quarto. Organize sua vida.

F.

Olhei rapidamente pela janela e tive a nítida impressão que o vizinho estava de mudança, mas, logo em seguida vi que não. Ele apenas estava levando suas munições para mais um dia:
tinha em sua mala uma pá, um serrote, muitos pregos, um livro, uma estrela e um porta retrato.

Fiquei muito curiosa para saber qual a utilidade, mas a falta de intimidade com ele me fez apenas imaginar.

A pá para enterrar o mau humor, a dor, o ressentimento e todas as angustias.
O serrote era para se separar de tudo e de todos que faziam mau para ele.
Os pregos seriam para fixar todos os bons sentimentos, assim como tudo que o fazia bem.
Um livro para anotar suas memórias e reler as passadas.
Uma estrela para se lembrar que sempre há uma noite entre dois dias.
E um porta retrato para mudar a foto.

Faltou eu dizer que ele levava também um guarda chuva, até porque eu acho que vai chover.

Conselho de hoje é: fica mais de boca fechada! Se uma vontade de mandar todo mundo longe ... vier, de forma descontrolada, manda mesmo!!! Com suas opiniões, tolices, mesquinharias, pré conceitos, pós conceitinhos e vidinha mais ou menos. Temperadíssima a minha vida - e foda-se as demais opiniões.

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

FAÇA A CAMINHADA VALER A PENA

"Entender a vontade de Deus nem sempre é fácil, mas crer que Ele está no
comando e tem um plano pra nossa vida, faz a caminhada valer a pena".

Julgamento


:: Elisabeth Cavalcante ::

Um dos exercícios mais praticados pela humanidade é o julgamento. Julgamos o outro, baseados em nosso código de valores, nossas percepções e naquilo que nossa imaginação cria a respeito de cada pessoa com a qual convivemos.

Ocorre que nem sempre esta avaliação se mostra correta e, por essa razão, ao julgar corremos o risco de cometer equívocos e praticar injustiças.
O pior que pode acontecer quando julgamos alguém é, sem dúvida, não levar em conta os sentimentos daquele que estamos criticando.

Por mais que não concordemos com as atitudes de uma pessoa, não podemos nos esquecer de que elas são motivadas, de um modo geral, pelas suas emoções e que agindo de modo rígido e inflexível também estamos nos deixando levar por nosso lado emocional.

Saber reconhecer quando estamos sendo influenciados por nossos conflitos internos no momento em que avaliamos as ações alheias, é o primeiro passo para que possamos abandonar a postura de juízes implacáveis e nos colocar no lugar de quem estamos julgando.

O sistema judiciário se baseia em leis pré-concebidas com o objetivo de garantir a convivência civilizada entre os seres humanos. Mas, fora desta esfera, nas atitudes cotidianas, nos arvoramos muitas vezes no papel de juízes implacáveis daqueles que não se enquadram em nossos hábitos e costumes.

Humildade, sabedoria e a capacidade de aceitar as diferenças de modo tolerante, constituem os melhores instrumentos para que escapemos da armadilha do julgamento.

"... Quando você diz que você se julga, isso é algo tomado emprestado. As pessoas julgaram-no, e você deve ter aceitado as idéias delas sem nenhuma investigação. Você está sofrendo de todas as espécies de julgamento das pessoas, e você está jogando esses julgamentos nas outras pessoas. E todo esse jogo desenvolveu-se além da proporção - a humanidade inteira está sofrendo disso.

Se você quiser livra-se disso, a primeira coisa é esta: não se julgue. Aceite humildemente sua imperfeição, seus fracassos, seus erros, suas faltas. Não há nenhuma necessidade de fingir outra coisa. Seja você mesmo: "É assim mesmo que eu sou, cheio de medo. Eu não posso andar na noite escura, não posso ir lá na densa floresta.". O que há de errado nisso? - é humano.

Uma vez que você se aceite, você será capaz de aceitar os outros, porque você terá um clara visão interior de que eles estão sofrendo da mesma doença. E a sua aceitação deles, os ajudará a aceitarem-se.

Nós podemos reverter todo o processo: aceite-se. Isso o torna capaz de aceitar os outros. E porque alguém os aceita, eles aprendem a beleza da aceitação pela primeira vez - quanta tranqüilidade se sente! - e eles começam a aceitar os outros.

Se a humanidade inteira chegar ao ponto onde todo mundo é aceito como é, quase noventa por cento da infelicidade simplesmente desaparecerá - ela não tem fundamentos - e os seus corações se abrirão por conta própria e o seu amor estará fluindo.

Neste exato momento, como você pode amar? Quando você vê tantos erros, tantas fraquezas... - como você pode amar? Você quer alguém perfeito. Ninguém é perfeito, assim, você tem de aceitar um estado de não-amor, ou aceitar que não importa se alguém não é perfeito. O amor pode ser compartilhado, compartilhado com todas as espécies de pessoas. Não faça exigências.

O julgamento é feio - ele fere as pessoas. Por um lado, você vai machucando, ferindo-as; e por outro lado, você quer o amor delas, seu respeito. Isso é impossível.

Ame-as, aceite-as e, talvez, seu amor e respeito possa ajudá-las a mudar muitas de suas fraquezas, muitas de suas falhas - porque o amor lhes dará uma nova energia, um novo significado, uma nova força. O amor lhes dará novas raízes para se erguerem contra os ventos fortes, um sol quente, a chuva forte.

Se apenas uma única pessoa o ama, isso o faz tão forte, que você nem pode imaginar. Mas, se ninguém o ama neste vasto mundo, você fica simplesmente isolado; então, você pensa que é livre, mas você está vivendo numa cela isolada em uma cadeia. É que a cela isolada é invisível; você a carrega consigo.

O coração abrirá por si mesmo. Não se preocupe com o coração. Faça o trabalho preparatório". OSHO, The Transmission of the Lamp.

 

http://somostodosum.ig.com.br/terapeutas/foto/elisaP.jpgElisabeth Cavalcante é Taróloga, Astróloga,
Consultora de I Ching e Terapeuta Floral.
Atende em São Paulo e para agendar uma consulta, envie um email.
Conheça o I-Ching
Email: elisabeth.cavalcante@gmail.com

 

 

FONTE: http://somostodosum.ig.com.br/conteudo/c.asp?id=09045

 

domingo, 30 de agosto de 2009

A atriz.

Ela estava divina, formalmente sentada em uma poltrona de veludo na cor manteiga e com um lindo vestido preto Dior. Estava lindamente e desordenadamente penteada e suavemente maquiada, ela também maquiou sua mais recente tatuagem do seu mais breve relacionamento. O nome do dito não estava mais visível e ainda relatou que foi mais fácil esquece-lo, que maquiar o nome da pele com um creme francês maravilhoso, de qualquer forma a remoção, esta sim, será lenta e dolorida.

Há alternativa de tatuar outra forma por cima, cogita ela, calma e tranquila.

Alguma dor aquele relacionamento tem que gerar. Nem tudo são flores e tem finais felizes como os filmes em que atua. Ela contou que por ser uma atriz dramática e o drama fazer parte da sua rotina de trabalho na sua vida pessoal faz uma eterna comédia e não conseguiria estar feliz se não agisse desta forma.

Seus dois filhos estão bem, sua ausência é sentida, mas contornada com a estrutura de sua mãe e mais duas babas para gerenciar o menor de 2 anos e o maior de 4 anos. São os meus bebês que fazem eu ter este brilho, esta luz e a minha inesgotável vontade de produzir e executar mais e melhor.

Seu corpo está lindo, indiscutível conclusão!

Por serem muito pequenos não entenderam o último grande escândalo em que seu nome foi envolvido e esta é uma de suas grandes dificuldades: o que meus filhos irão pensar e quanto irão sofrer pelas distorções de meus atos e palavras?

Sua discreta vida amorosa foi postada em um site com hospedagem russa. A sua intimidade, entre quatro paredes, viraram dois filmes onde ela aparece fazendo sexo oral, anal e em várias posições com requintes de sadomasoquismo e submissão.

Descontente com a situação, exposição e observações da mídia a seu respeito, agiu diferente de muitos e respondeu oficialmente, via assessor, "eu amo sexo". Não processou seu ultimo namorado, certamente o autor da façanha, e nem ordenou a retirada dos vídeos do ar. Fala abertamente que lamenta, mas que pratica sexo regularmente e infelizmente nem sempre com a mesma pessoa, devido não ter uma união estável e também muitas vezes com parceiros que não a satisfazem em nada.

E ainda se questiona se não seria melhor ter ido dormir sozinha.

Ela afirma que viaja muito e conhece parceiros em diferentes lugares, que a curiosidade e as oportunidades não são perdidas e que sexo é bom, mesmo na frustração do ruim. Mesmo assim disse, em uma entrevista a cinco anos atrás, que carinho e desejo de dar prazer são fundamentais, tamanho faz a diferença e as preliminares, com um bom oral é o começo acertado. O resto é criatividade, tesão e corpo a corpo.

Todas as reportagens sobre este acontecimento vieram auxiliar na divulgação de seu próximo filme, com estreia para a primeira semana de Setembro, "Dose dupla". Trata de um triângulo amoroso onde ela se divide entre o pacato funcionário de uma multi nacional da área de TI e o instável piloto de moto velocidade. Onde e como estas vidas se cruzam? Só assistindo!

E a dica é assistir mesmo, pois há lindas photografia, uma iluminação perfeita, direção e continuidade marcantes - além de um clima quente com muitas cenas sensuais com a arte imitando a vida. Surpreendente.